Diário de faculdade: Cansaço e desmotivação!

Fala Galera, tudo bem com vocês?

Bom, meus caros, sabemos que estudar nem sempre é um mar de rosas. Em meio aos turbilhões de complicações que surgem, vim falar especificamente de quando perdemos aquele “gás” dos estudos, quando o ânimo morre, a motivação não mais existe e o único desejo que resta é de abandonar tudo. Sim, todos nós passamos por isso.

Ano passado, perto do fim do segundo semestre, eu tive um verdadeiro desmoronamento psicológico. Simplesmente queria jogar tudo para o ar, largar a faculdade, desistir das mil e uma coisas que faço e dormir por dias seguidos, sem interrupção. Melhorei consideravelmente desse surto, porém percebi que iniciei o ano extremamente cansada, ainda, e um tanto desanimada (possivelmente resquícios do cansaço do ano passado). Eu venho em uma rotina de estresse intenso, procrastinação em quaisquer atividades e tenho ficado muito improdutiva e sem saber aproveitar meu tempo.

Sim, eu poderia jogar tudo para o ar nessa maré ruim, assim como sei que muitos tem passado pelo mesmo, e muitos outros já deve ter abandonado as coisas. Mas eu tenho optado por buscar me reanimar e não desistir…

Se você tem estado assim como eu, vou deixar algumas dicas do que tenho feito para tentar tirar todo esse desanimo da minha vida.

1. Foque no seu objetivo

Nada é atoa. Sempre há um porquê. E esse é o ponto chave onde você deve mirar. Tenha sempre em mente tudo aquilo que você objetiva e principalmente que esse é o caminho para atingir seus desejos.

2. Organize-se

Eu, quando começo desanimar, viro uma perfeita bagunça. “Empurro tudo com a barriga”, enrolo em tudo e acabo não fazendo nada. Faça listas diárias de atividades. Eu, particularmente, escrevo duas listas: uma de atividades obrigatórias de serem concluídas naquele dia e outra de atividades secundárias, que se não feitas, podem ser colocadas para conclusão em outro dia. A dica é se organizar e se impor a cumprir aquilo que programou.

3. Não exija demais de si.

Gente, um dos maiores problemas que me cansaram demais foi querer fazer mil coisas de uma vez só. Eu queria fazer muita coisa e acabava não fazendo nada e ainda mais: estressada. Não se imponha demais e nem queira fazer muitas coisas. Abandone algumas atividades que forem necessárias e possíveis.

4. Descanse

Você não é uma máquina. Separe tempo para o lazer ou simplesmente para dormir, ou ficar vendo um filme. Dê descanso a si, por favor! Você não é de ferro!

5. Você é capaz

Por fim, jamais desacredite de si e dos seus sonhos. Vá em frente, do jeito que der. E confie em si, que o mundo todo será seu!

Beijos, Vanessa.

Anúncios
Diário de faculdade: Cansaço e desmotivação!

Diário de faculdade: Procrastinação

Fala Galera, tudo bem com vocês?

Esse é um problema que muita gente enfrenta. E, ás vezes, sequer sabe que está passando por ele. Mas, o que é essa tal procrastinação?

Procrastinar é o ato de adiar algo ou prolongar uma situação para ser resolvida depois.

Sim, é aquilo de sempre ficar adiando para fazer as coisas. Não é um problema apenas quanto aos estudos mas pode estar relacionado a vida também. Eu, por exemplo, sou uma pessoa extremamente ansiosa então sempre sigo o caminho oposto. Mas, quanto vida pessoal, costumo procrastinar e muito. Mas, hoje, o tema é quanto aos estudos, onde muitos vão adiando os trabalhos, os estudos para as provas e sempre “empurrando com a barriga”, deixando para depois.

Resultado de imagem para • Procrastinação nosestudos
Fonte: Beneficium Juris nemini est denegandi

Tudo bem, meus caros, eu sei que não é simplesmente pensar “não vou mais enrolar” e pronto, está resolvido. Quando se acostuma a procrastinar, a situação vira um hábito e não é fácil de largar. Os estudos passam a parecer uma tortura. Mas, vou deixar aqui algumas dicas que possam ajuda-los a se libertar desse problema:

  • Planeje horários mais curtos

Se você costuma procrastinar, até se por a pensar em horas a fio de estudo já parece fazer desistir. E acredito que isso assusta até aos mais empenhados. A dica é você manter um planejamento de tempo de estudo, curtos, com pausas regulares. Por exemplo: invés de estudar 6 horas seguidas, estude de 2 em 2 horas com pausas de meia hora, ou talvez 1 hora. Assim você descansa e não transforma o estudo em um martírio…

  • Divida o material, estipulando meta

A dica é: se imponha metas. Por exemplo: Semana X terei que estudar até página “tal”. Ou estudar “tanto” por semana. Mas cuidado: Não vá estipular metas cansativas ou impossíveis. Estipule de acordo com seu planejamento de tempo de estudo e o quanto você consegue.

  • Pare de dar pausas

Você sabe bem do que estou falando. Sabe aquelas pausas para conferir notificações no celular, verificar o facebook “rapidinho”, ir conta uma fofoca no whats e todas essas pausas no meio do tempo de estudo? Pare! É cilada! Isso com certeza te desmotiva a estudar, interrompe a sequencia a qual seguia e deixa a preguiça adentrar. Você terá o tempo de pausa conforme estipular, então deixe tudo isso para esse momento!

  • Recompense-se

Quer se motivar? Ganhar o que quer. Fazer o que gosta. E que tal se isso for dado por si mesmo, em recompensa ao próprio esforço? Estabeleça recompensas para si nas situações de que se fizer exatamente o planejado, fará “X”, ou ganhará “Y”.

  • Mantenha longe as distrações

Parceiro da dica das pausas, essa diz sobre desligar o celular, bloquear aplicativos, ficar longe de tudo que te faça se distrair.

  • Cuidado com o ambiente

Procure estudar em lugares silenciosos, que não tenham distrações algumas e que não sejam “enjoativas” para vocês. Por exemplo: eu não consigo ler, nem mesmo se estiver sentada, no meu quarto. Me dá um sono assustador. Então o que faço? Não leio no quarto! Se o lugar de der sono, te canse, seja desmotivador: procure algum o qual você se sinta melhor.

A questão é: comece a estudar. Essa é a dica maior. Largue tudo e sente-se, e mãos a obra. Enquanto você enrolar, nada vai fluir.

Beijos, Vanessa.

 

 

Diário de faculdade: Procrastinação

Diário de faculdade: Dica de estudo: revise após a aula

Fala Galera, tudo bem com vocês?

Eis que as aulas já dão seu ar da graça. Hora de dizer adeus as férias e focar nos estudos, afinal, é preciso dar seu melhor. Mas, as provas complicam tanto, não? Muitas e muitas matérias, conteúdos excessivos e um dia antes o qual tiramos para estudar efetivamente. É, meus caros, há um jeito de descomplicar isso tudo… E não, não é milagre!

Resultado de imagem para estudar muito
Fonte: Motivado para vencer

Claro, há uma série de fatores como treinar o que se aprende com exercícios, mas e aí, eu, por exemplo, não tenho exercícios. Como fazer? Bem, primeiramente que contribui muito prestar atenção à aula. E anotar os aspectos mais relevantes para poder estudar.

E depois? Separe algum tempo do dia para revisar os conteúdos. Após a aula e se possível, antes dela, revisar o conteúdo, relembrando tudo o que foi visto. Isso faz com que você aprenda a matéria, com ela ficando bem clara, pelo constate revisar dela. Você se ‘familiariza’ com ela.

Por exemplo, eu estudo a noite. Claro que não estudo depois que eu chego, mas costumo revisar os conteúdos logo após, na manhã seguinte. E, em sequência, revisar a disciplina que terei no dia. Assim, me preparo para a aula do dia e relembro o que vi na aula anterior.

E não, não gasto horas fazendo isso. Eu apenas me auto explico o conteúdo, o que leva entre 20 a 30 minutos ou até menos, de acordo com o tanto de coisa que tem para revisar. A primeira revisão, após a aula, eu faço uma leitura, concentrada, tentando deixar o mais claro possível o conteúdo e depois, nas demais revisões, apenas me auto explico.

Como dito, eu não tenho exercícios. Mas, uma dica é usar exercícios como meio de revisão, onde você aplica aquilo que aprendeu, o que é realmente o que se espera nos testes. Além de ser uma verificação se você realmente aprendeu e consegue desenvolver bem o conteúdo.

Ou, uma coisa o qual eu faço, é reescrever todo o conteúdo (o que é mais demorado!). Eu consigo perceber e aprender muito mais uma matérias, escrevendo. E por isso, costumo revisar reescrevendo todas as anotações.

Ficam as dicas para vocês. Espero que os ajude!

Beijos, Vanessa.

Diário de faculdade: Dica de estudo: revise após a aula

Diário de faculdade: Estudar nas férias?

Fala Galera, tudo bem?

Sim, o título do post deve ter causado temor e dor de cabeça em muita gente. Imagine só, depois da “tortura” de estudar um ano letivo todo, ainda querem que se estude nas férias? Pois é, meus caros, soa loucura, mas não é tão “piração” assim!

Resultado de imagem para estudar aluno

Bom, não estamos falando de você sentar um dia todo para estudar, ou deixar de se divertir e aproveitar as férias. Nada disso. Afinal, ninguém é de ferro! Mas, já parou para analisar que você poderia gastar aquela horinha do dia em que você não tem absolutamente nada para fazer, “estudando” alguma coisa?

Essa loucura é algo que muita gente faz. Mas o que se estuda? Bem, muitos deixam para revisar conteúdos do ano nesse período ou estudar uma língua diferente. E sim, eu faço ambos. Enquanto reviso um conteúdo da faculdade (no momento, direito civil), aproveito alguns minutos para estudar um pouquinho de Inglês.

Então, porque não aproveitar também?

Separe um tempinho do dia para revisar alguns conteúdos aprendidos no ano ou algo similar. Tem vontade de aprender uma nova língua? Que tal investir tempo em começar a estudar nas férias? Você vai ver que vale a pena e ocupa o vasto tempo vago!

Beijos, Vanessa!

Diário de faculdade: Estudar nas férias?

Diário de faculdade: Utilizar melhor o tempo.

Fala Galera, tudo bem com vocês?

Estar na faculdade é um desafio diários. A quem está, tem noção clara de como tudo se transforma, e de como tudo acaba saindo um tanto mais complicado em nossas vidas. Aos futuros calouros, a prévia notícia é de que as coisas tendem a ficar bem difíceis (não querendo desmotivar).

A questão é que estudar já tende a ser um verdadeiro problema e ainda, este requer coisas muito além do mero estudar. Acredito que um dos grandes conflitos que tive com relação à faculdade foi a mudança de padrão em tudo, e principalmente quanto à minha forma de estudar. É estranho começar algo e ver que todo o método que você utilizava antes, de nada adianta. Mais uma vez terá que se adaptar e se autoconhecer. É complicado, não?

Assim quanto ao método, tem aquela velha reclamação de todos: Tempo. Uma das coisas, aliás, que mais faltam na vida do acadêmico. Somos imersos em uma infinidades de trabalhos difíceis e provas com um número alto de matéria, que simplesmente ficamos sem saber como lidar com a situação. E é por isso que precisamos saber usar cada mínimo minuto do nosso dia.

Resultado de imagem para tempo

O aproveitamento do tempo é imprescindível. Uma grande maioria dos universitários trabalham em jornadas diárias e tem que encarar a faculdade a noite. No meu caso, trabalho meio período e já acho super complicado. Então, como é que em meio à corrida rotina poderemos conciliar estudos particulares?

Como dito, a chave desse mistério está nos minutos diários. Aproveitar cada pedacinho de tempo para revisar alguma coisa, ler algum trecho. 5 minutos que seja. E como fazer isso? Aproveitando melhor cada brecha, ora pois.

Se você acorda em determinado horário, por que não acordar alguns minutos antes? Levante 10 minutos ou até 30 minutos antes do horário que você acostuma acordar e aproveite para estudar esses minutos até o horário padrão que você tendia a se levantar.

Diminua o tempo de algumas atividades. Que tal agilizar no tempo das refeições, ou da rotina matinal? Muitas vezes desperdiçamos tempo importante analisando absolutamente nada e pensando na vida, de forma a desperdiçar minutos preciosos.

Estude antes de dormir. Utilize meia hora antes de dormir para estudar. Consta aliás que é uma boa tática de memorização praticar o estudo antes de ir se deitar.

Grave a matéria e ouça sempre que possível. Se você pode usar fones de ouvido em algum momento, um aliado é você gravar a matéria e ouvir nos momentos que forem possíveis.

Mas claro, antecipo o cuidado para não virar um robozinho de estudo-trabalho, sem tempo para descanso ou similar. O aproveitamento no estudo se dará através do conhecimento de práticas que facilitem, como saber resumir, fazer mapas mentais e similares. Jamais deixe de reservar tempo para o descanso e o lazer. E claro, jamais se desmotive.

Beijos, Vanessa!

 

Diário de faculdade: Utilizar melhor o tempo.

O que eu quero ser quando crescer?

Fala Galera, tudo bem com vocês?

Hoje vim falar sobre um momento complicado na vida de muita gente. Quem já passou, sabe exatamente como é difícil, e quem vai passar, já antecipo para preparar o coração: decisão de qual faculdade fazer.

Resolvi falar sobre esse tema, porque esse é meu último ano de Ensino Médio, ano que vem (se Deus quiser e tudo der certo) ingressarei na faculdade e principalmente porque muitos amigos vieram conversar comigo sobre esse assunto. Não sou nenhuma super psicóloga ou vou indicar passo a passo o que fazer, mas vou escrever exatamente os conselhos que dei para alguns amigos, assim como utilizei para mim.

Realmente eu não sabia o que queria até o começo do ano. Tinha uma lista de cursos, mas nada em especial. Sabe quando se sente totalmente perdido? É assim que me via. E acho que esse é o primeiro quesito: não ter pressa e não se pressionar. Particularmente acho que é muito bom chegar no último ano do Ensino Médio sabendo o que quer. Mas se não souber, não adianta se pressionar. Estamos próximos ao Enem e tenho amigos que decidiram só agora. Acho que o prazo máximo deve ser, pelo menos, um ano de antecedência, para não ficar corrido e tudo mais. Mas isso vai de cada um também.

Eu decidi o que queria em Janeiro, logo nos primeiros dias do ano. Porém, eu já até havia iniciado os estudos, mas ainda não havia decidido. O que eu fiz e aconselhei meus amigos para a tal decisão foi: faça uma balança e veja qual vale mais a pena para você. O que mais vai te satisfazer.

No meu caso, por exemplo, eu tinha uma lista de cursos com mais ou menos 5. Então me questionei: O curso que quero precisa ser como? Quais áreas eu sou melhor? O que eu gosto de fazer? Como quero meu futuro? E todas as indagações como essas. No final, optei por Direito, que comicamente, foi a primeira coisa que disse querer fazer (no caso, ser juíza) quando pequena (e pensa em alguém que brincava de advogada? Pois é, era o destino conspirando).

Eu acredito muito que esse é um momento que você precisa enxergar as possibilidades reais (não adianta querer algo da qual você sabe que não será capaz), e principalmente: deixar de lado as opiniões alheias. É sua escolha, e deve vir apenas de você. Muitos amigos, tive a percepção, de estarem sendo obrigados a fazer o curso que escolheram. E é visível sem nem menos termos ido para a faculdade ainda, a insatisfação deles. Não funciona assim, tem que ser algo que gostamos e queremos, independente das opiniões alheias.

E por último: ESTUDAR. Não adianta querer alguma coisa e não correr atrás. Vi muitos colegas que simplesmente sonhavam com um curso mas não pegaram sequer em um caderno para estudar.

Quem aí está nessa fase também?

Beijos, Vanessa!

O que eu quero ser quando crescer?