Primeiras impressões: Encontros e Desencantos – Nathália Batista da Silva

Ficha técnica:

Título: Encontros e desencantos

Autor: Nathália Batista da Silva

ISBN: 978-989-51-6341-0

Ano: 2015

Número de páginas: 256

Editora: Chiado

Sinopse:

A Inglaterra, do início do século XIX, é palco de um romance repleto de paixão, dor, encontros, encantos, desencontros e desencantos. O romance é composto por pessoas e com elas, tudo o que há de pior e de melhor no ser humano. São sentimentos explorados em uma cadência lenta nas fases mais difíceis da vida de uma mulher. Suzanne é uma doce e ingênua moça de dezessete anos, cercada e castigada pela maldosa Veronika, de quem era dama de companhia. A vida tem seu próprio jeito de ensinar aos ingênuos e proporciona um longo e árduo caminho a menina em meio a uma sociedade onde respeito e posição não raramente eram construídos com crueldade, inveja, mentiras, intrigas e vingança.

Bom, meus caros leitores, gentilmente a autora Nathália Batista nos cedeu os três primeiros capítulos de sua obra, Encontros e Desencantos, para que viéssemos dar nosso parecer sobre esse breve contato.

Sabemos da velha questão de que “Quem vê capa, não vê conteúdo” mas não posso deixar de ressalvar que fiquei encantadíssima quando vi como era a capa. Recebi, recentemente, os marcadores e tive um amor a primeira vista. Gente, uma graciosidade a parte, não?!

Adentrando ao conteúdo, nós conhecemos a história da jovem órfã Suzanne, que é dama de companhia da invejosa e cruel Veronika. Deixada aos cuidados da baronesa Sra. Hampton, em pedido de sua mãe em leito de morte, ela recebe uma educação e cuidados diferentes de outros criados, tornando-se uma dama de jeitos e beleza admiráveis. Obviamente, gerando a inveja e ira da herdeira dos Hampton, que de grandes destaque tem apenas a fortuna.

Claramente, que um grande amor  vai lhe surgir. Não podendo eu alegar,  diante que as páginas iniciais vinham até o momento em que ambos se conheceram, posso apostar aqui que vai ser um romance e tanto, cheio de dificuldades e lições.

Com características de romances de época, a autora escreve de uma forma o qual lemos levemente, se encantando pela protagonista e criando um mundo encantado para esta. Juro a vocês que leio imaginando como um conto de fadas, diante que a autora consegue transpassar, perfeitamente, esse clima romântico e “fofo” de obras com tais características.

Tenho que dizer que fiquei curiosa para saber o desfecho dessa história e o que poderá acontecer cm a protagonista da trama, a Suzanne. É apaixonada por romances, assim como eu? Acho que é uma boa dica, ein! Só nos três primeiros capítulos, já fiquei encantada com os personagens.

Caso queira adquirir a obra, segue abaixo os links para a compra:

Livraria Travessa: clique aqui

Livraria Cultura: clique aqui

Livraria Easybooks: clique aqui

Livraria Chiado: clique aqui

Beijos, Vanessa.

Primeiras impressões: Encontros e Desencantos – Nathália Batista da Silva

Projeto Além das páginas: Nádia Nóbrega.

Fala Galera, tudo bem com vocês?

Hoje trazemos mais um post do nosso projeto Além das páginas (Caso você não conheça, clique aqui para conferir como funciona). E, estamos vindo com uma autora apaixonante: Nádia Nóbrega. Com seu livro, O castelo mágico da Princesa Melinda, publicado pela editora Chiado, a autora portuguesa conquistou o público brasileiro.

Quem é Nádia Nóbrega? Além da escritora e Youtuber? Uma pessoa, como qualquer outra, em questão de ser dotada de defeitos e qualidades, mas diferenciando-se de muitos pelo seu reconhecimento quanto a eles.Apesar das características ressaltantes e positivas de sua personalidade (e a imensa simpatia e alegria que transmite) a autora não deixa de expor seus defeitos, a realidade de sua personalidade, e o mais bonito: sua capacidade de buscar ser cada vez melhor, contendo-se e limitando-se, buscando “suavizar” as características negativas que apresenta. Quer mais? Escreve pelo belo desejo de ajudar alguém…

Olá, sou a Nádia Nóbrega, sou escritora e estudante de ciências da educação na universidade da Madeira; sou da Madeira. Tenho 19, quase 20 anos e adoro de paixão tudo o que envolva literatura; adoro música, sou descrita como sendo simpática, responsável, amiga e talentosa, humilde e sensível no que toda a temas que são muito criticados, também por influência do meu estudo. Sou muito nervosa, teimosa e rabugenta mas consigo conter os meus limites! Sou perfeccionista e adoro ir à busca de coisas novas! O meu objectivo como escritora é tentar ajudar alguém. Tenho um canal de YouTube AMariadosLivros.

E como surge o amor pela escrita? Como muitos autores, influências contabilizam muito para fortalecer esse anseio e paixão do qual muitos alegam o ter desde sempre, o que não é diferente com a autora que apresentamos hoje. Amante da leitura e escrita desde pequena, foi influenciada por pessoas ao seu redor, em especial a mãe!

Sempre desde pequenina que adoro ler e escrever; A minha maior influência foi e é a minha mãe e como fui muito incentivada por família, professores e amigos, o secundário foi a época em que comecei a aperfeiçoar o meu talento e desde aí não parei.

E a trajetória para se conseguir realizar o sonho de publicação nunca é fácil. Mas, como expresso pela autora, é preciso confiar em si e no seu sonho. Humildemente, ela ressalta sobre ver-se ainda pouco experiente no ramo, com muito a aprender mas deixando claro o quão necessário foi ter ao lado pessoas que a ajudasse e principalmente: confiar em si.

Não tenho muita experiência, tendo em conta que só tenho um livro no mercado e ainda tenho muito que aprender neste ramo; Sempre tive muita ajuda porque é preciso rever o que escrevemos, entre outras coisas e claro ver qual a editora mais indicada para o autor! Não foi fácil e ainda por mais que viver só dá profissão de escritora não dá para a vida mas é ir tentando até ser valorizado (a) e nunca desistir,  mesmo que levemos muitos não, mas claro é preciso ter noção que  somos bons no que fazemos e arriscar!
Para mim ver o meu sonho realizado foi uma alegria enorme porque 1 nunca pensei, 2 alguém acreditou em mim e 3 o que mais à o está à vista de todos, para quem quer!
Por fim, o que ela acha sobre a literatura? A busca por maior valorização é a peça chave. As críticas caem demais enquanto pouco se faz… E ainda, deixa uma dica quanto maior incentivo àqueles autores iniciantes e sem ainda reconhecimento e carreira estruturada. Um sonho, particularmente, se conseguíssemos apoios similares, não?
Na minha opinião, a Literatura deveria ser mais valorizada e menos criticada e acho que os minis escritores deveriam arriscar mais e existir uma maior aposta das editoras e formações grátis, porque como sabemos o dinheiro pesa muito e nem todos podemos!
Bem, se você ficou interessado, segue abaixo a sinopse do livro dela e suas mídias sociais:
O reino mágico da princesa Melinda vive dias muito agitados.  A  princesa está a chegar ao final do seu reinado e, por isso, precisa de  encontrar, urgentemente, uma nova sucessora. Porém, a futura princesa, que tem, tal como Melinda, um dom único, anda desaparecida, o tempo está a esgotar-se e a sobrevivência dos seres misteriosos que vivem no castelo, longe dos olhares do mundo, está em risco. Conseguirá Melinda salvá-los?
Beijos, Vanessa!
Projeto Além das páginas: Nádia Nóbrega.

Uma dose de história: A muralha da china

A Muralha da China, ou também conhecida por A grande muralha, é uma construção formada ao longo de anos e anos (dois milênios), sendo construída e fortificada por diversas dinastias, localizada (claro) na China.

Resultado de imagem para Muralha da china
Fonte: História e geografia

Qual a finalidade? Em 220 a.C, quando ela começou a ser construída, na dinastia do imperador chinês Qin Shihuang, havia uma grande incidência de invasão de povos inimigos, vindos do norte, e o intuito então foi de proteção militar contra povos nômades.

Para a construção, evidentemente, foi necessário muita mão-de-obra, sendo esta escrava. Relata-se que estes eram forçados ao trabalho até a exaustão. Ela não é uniforme, sendo constituída de torres para vigilância e portas, evidentemente, por ocasião de seu fim militar e de proteção.

A muralha possui aproximadamente 2 300 km de extensão, uma altura média de 7,5 metros e cerca de 3,75 metros de largura; tais características fazem com que essa seja uma das maiores obras feitas pela humanidade. A Muralha da China, que no passado tinha finalidade militar, hoje é um símbolo chinês e um dos mais famosos pontos turísticos do mundo.

Fonte: Mundo Educação

Beijos, Vanessa.

Uma dose de história: A muralha da china

Quando você espera o bom…

Esperar o pior, pensamentos negativos, a certeza de que tudo dará errado. Ao longo dos meus 18 anos, os pensamentos pairavam não apenas em não esperar, mas sim em esperar o pior, de tudo e de todos. É cômico quanto que tudo parece não prestar, ninguém soa confiável e a vida é empurrada com a barriga. Tudo mais ou menos, tudo de mal a pior, tudo afundando. Não se arrisca, aliás, porque parece pairar a nuvem negra de que não dará certo, então porquê tentar?

O pior disso tudo é que nos fechamos. Criamos uma proteção contra tudo e contra todos, pelo temor de que sejamos estraçalhados mais uma vez. Consideremos pois que carregamos a certeza de que o seremos. Achamos que todos estão ali por querer algo em troca e que possivelmente seremos magoados. E deixamos a vida passar. Reclamando, caminhando, empurrando a vida e nunca buscando absolutamente nada. Não, isso não é viver.

Esperar o bom é temível. Acreditar que se é suficiente para o ter é um desafio. Esperar pelo tal do dar certo é o mesmo que abrir as portas para a frustração, pois, afinal, pode não dar certo. Pode vir o errado. E aí? Quem é forte o bastante para saber lidar? Para encarar como só mais uma em meio aos muitos bons? Depende do olhar, do jeito que vê a vida, do jeito que a encara.

Sabe o que, no geral, é preciso entender? Que não existe vida se não temos expectativas. Tem que ter esperança, acreditar, correr atrás, independente dos resultados, das respostas, do decorrente. Viver é correr riscos. É não se aniquilar tentando nunca esperar absolutamente nada. A confiança fica onde nessa vida zerada?

Quando você espera o bom…

Cleópatra

A mais famosa rainha do Egito, Cleópatra, tem o nome conhecido e marcado na história mundial. Circundado por vários mitos e lendas, é perdurada sua fama. Mas, quem afinal, foi essa mulher?

cleópatra
Fonte: só história

 

Uma das faces, por assim dizer, de Cleópatra, é conhecida pelo mundo. A voluptuosa mulher, vaidosa, voltada aos luxos e prazeres da vida. Mas há ainda, a face de governante…

(…) Nunca foi a detentora única do poder em sua terra natal – de fato co-governou sempre com um homem ao seu lado: o seu pai, o seu irmão (com quem casaria mais tarde) e, depois, com o seu filho. Contudo, em todos estes casos, os seus companheiros eram apenas reis titularmente, mantendo ela a autoridade de fato.

Cleópatra nasceu em 69 a.C., na cidade de Alexandria, fundada por Alexandre, o Grande no delta do Nilo e que nos séculos anteriores ao nascimento de Cristo desempenhou o papel de metrópole cultural, artística e econômica do Mediterrâneo Oriental. Embora fosse egípcia por nascimento, pertencia a uma dinastia macedônica que se estabelecera no Egito em 305 a.C., quando o general macedônio Ptolomeu tomou o título de rei. Era filha do rei Ptolomeu XII Auleta e da rainha Cleópatra V. Apesar da origem estrangeira da dinastia à qual pertencia, Cleópatra foi a única da sua dinastia a dominar a língua egípcia.
Cleópatra foi a última Rainha da Dinastia ptolomaica que dominou o Egito após a Grécia ter invadido aquele país. Subiu ao trono egípcio aos 17 anos de idade, após a morte do pai.

Fonte: Só história

Uma sagaz e inteligente governante, sua determinação combinada às anteriores características citadas foram os marcos para perpetuarem seu nome na história não só egípcia, mas mundial.

Não só buscando alcançar o poder e as consequências destes, quanto à riqueza e suas vaidades, mas também atingir a soberania quanto dar fim às dominações estrangeiras e proteger o povo o qual tanto sentia-se parte. Tinha domínio de diversas línguas e atributos característicos que possibilitaram seu renome e triunfo como governante, diante de, como exposto, ter sigo quem efetivamente reinava no período.

A história, sintetizando, marca sua trajetória pelas grandes alianças formada e por sua audácia, seu forte poder de sedução e sua “ganancia” pelo poder. Em atitudes extremamente exuberantes e inteligentes, a rainha marcou sua trajetória política pela conquista de fortes aliados, como, por exemplo, com o líder militar e político Julio César.

Mas, por fim, como esta teria morrido e dado fim ao seu triunfante governo? Bem, apontam os estudos que após triunfo de Otaviano, ou seja, do império Romano, ela teria sido encarcerada em um dos quartos, em tentativa de mantê-la viva em intenção vexaminosa e explicitar sua derrota. Ela, porém, em clara não aceitação da situação, teria colocado a mão em um jarro onde continha uma cobra, morrendo assim pela picada. Esta foi encontrada morta, em trajes reais, terminando assim uma jornada marcante, de um jeito também marcante.

Beijos, Vanessa.

Cleópatra

Uma dose de história: Estátua da Liberdade, Nova York.

Um marco turístico da cidade de Nova york, Estados Unidos, a Estátua da Liberdade é conhecida no mundo todo. Importante símbolo da liberdade política e da democracia, é considerada uma das 7 novas maravilhas do mundo, sendo “palco” de visitação de milhares de turistas anualmente, para deslumbrar-se. Mas, você, que provavelmente  já deve ter, minimamente, o conhecimento sobre, pelo menos, a existência desta, já viu a história por trás desse simbolo histórico?! Pois se não, vamos falar sinteticamente disso!

Resultado de imagem para estátua da liberdade
Fonte: Guia Turístico

A estátua da liberdade, como exposto, importante marco quanto a democracia e a liberdade política, foi um presentinho Francês para os Estados Unidos, pela comemoração dos 100 anos da independência norte-americana (1876).

Espantoso, não? A primeira vez que ouvi falar sobre essa história, fiz a pergunta que vocês, devem estar se fazendo: Como é que foi enviado isso ao Estados Unidos? Pois meus caros, conta-se que construída, quando finalizada (1884), foi desmontada em várias e várias peças e enviada por navio para lá, assim, tendo a França efetivamente presenteado… Claro, a demorava foi grande para “remontar” a estátua novamente, já em solo norte-americano, que teria se findado em 1886, tendo sua inauguração oficial no dia 28 de outubro do dito ano (1886).

Hoje, localizada no porto de Nova York, é vista como um cartão postal e monumento histórico, de deslumbre mundial!

Beijos, Vanessa!

 

Uma dose de história: Estátua da Liberdade, Nova York.