Relatos de sextas-feiras

Sobre amores, Darcy’s e autoestimas.

E lá estava eu, mais um dia, jogada sobre minha cama, relendo aquele livro já tomado pelas marcas do tempo, que tinha há anos na prateleira. Gostava de pensar que talvez eu encontrasse um Mr. Darcy na próxima segunda, quem sabe?  Talvez houvesse um maluco que olhasse e visse em mim aquele potencial para ser “o grande amor da vida”. Alguém poderia ver, porque no caso, nem eu mesmo via…

Com os óculos no rosto, lia atentamente, com as folhas estapeando-me em suas doses de amor, os quais eu nunca vivera, e evidentemente, para mim, jamais viria a viver. Eu era dor sob aquele amor. Tive que fechar e o devolver a prateleira, mais uma vez, lançando-me a cama, deixando lentamente as lágrimas rolarem por meus olhos.

Eu estava cansada. Sim, a semana havia sido desgastante. Mas o cansaço do espírito gritava ainda mais alto. Você sabe o quanto dói olhar-se só? Sentir-se perdida? Inamável? Era eu, em meu corpo fora das medidas, com gorduras sobrando em todo canto. O cabelo esvoaçante dava-me um ar de mal cuidado. As espinhas gritavam ainda por meu rosto, enquanto eu tentava eliminá-las a todo custo. Meu rosto era fora de medida. Sendo sincera? Eu estava cansada de ser eu.

Quando estamos em situações de autoestima em decaimento, não vemos mínimos potenciais sequer. E eu sabia que tinha algo bom em mim. Deveria haver. Mas parecia me faltar algo como aquele começo de fita que a gente procura insistentemente até encontrar. E eu procurava ainda, sem êxito.

Eu olhava minhas paredes mortas, em seu branco sem vida, que para muitos, significaria paz, mas para mim, soava solidão. Apertei bem o travesseiro sob o rosto, contendo mínimos soluços que insistiam em escapar. Acreditem, o desamor dói além do que se pensa. E, meus caros, a falta de amor próprio perturba ainda mais.

Eu sabia, naquela sexta feira, que eu precisaria levantar da cama e fazer algo por mim. Que deveria sair daquele estado.Porém, estava cansada demais. Chorei até o sono chegar. Talvez, no amanhã, eu tentasse buscar um novo rumo… Mas, naquela sexta feira, eu dormiria sendo apenas desilusão.

Anúncios
Relatos de sextas-feiras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s