Tudo depende de como nos tratam.

Achamos extremamente modismo ser desapegos. Frios, distantes. Tão interessante ser aquele que não se importa, que maltrata, que não se importa com aqueles a quem o amam.. E a troco de quê, afinal? O que se ganha sendo assim? E as vezes nem é modismo. Nem é por querer. Eu, por exemplo, aprendi a ser assim. A gente apanha de um e bate em todos. Simplesmente acha que não vale a pena e se fecha.

Sabe o pior? Aqueles que naturalmente não demonstram com facilidade, são aqueles que se perguntam porquê o mundo não retribui. De fato, não vê que o mundo está retribuindo. Devolvendo as grosserias, o ar frio, o jeito que sem querer, não é carismático. A gente tem medo de arriscar ser “legal”, “gente boa”, “atencioso” e não nos devolverem. De amar sozinho, de fazer papel de trouxa.

Certo, meus caros, papel de trouxa já fazemos fugindo de sentimentos e demonstrações. Puro trouxismo, deixa eu te alertar. Nem sempre o que vai, volta. Nem tudo que é ofertado, é devolvido. E devemos, mesmo assim, deixar demonstrar. Que não retribua, ora pois. Você precisa transbordar amor, plantar sementes de carinho por aí. Uma hora, inunda. Quando menos esperar, vira flor, forma jardim.

Anúncios
Tudo depende de como nos tratam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s