Projeto Além das páginas: Autora Beatriz Pacca.

Caros leitores, damos o primeiríssimo passo do nosso novo projeto, que trará entrevista com alguns autores, mostrando-os “Além das páginas”. E hoje, para essa estreia aqui no blog, traremos, obviamente, a autora que nos inspirou ao projeto: Beatriz Pacca, uma jovem movida pelo amor à leitura e à escrita, carregando como hobbies (assim como muitos de nós) o vicio por séries e filmes, com destaque aos livros da saga (sucesso mundial) de Harry Potter. Fã de Beatles, e uma (digníssima) pisciana, sonha em ganhar cada vez mais leitores, e ganhar destaque no país o qual é apaixonada e pretende muito conhecer: A Inglaterra!

“Adoro ler, escrever. Tenho hobbies comuns, como assistir séries e filmes, etc. Meus livros preferidos são de Harry Potter. Minha banda preferida é Beatles, e sou pisciana com ascendência em Escorpião. Minha viagem dos sonhos é para a Inglaterra. E espero algum dia me tornar bem conhecido no país, espero conquistar leitores, e sempre despertar a curiosidade deles, pois tenho planos para ainda escrever muito mais.”

Como nasce um escritor? Como se aflora a alma em paixão pelas palavras? Há várias formas e cada autor certamente dará seu próprio motivo, aquele clique que motivou-o à escrita. Sabe quem foi o motivador a acender essa luz na vida da autora? Um professor! Um verdadeiro educador, que em executar de seu trabalho, colocou uma “sementinha” a mais no mundo, nos trazendo o prazer de ter tamanha preciosidade como a obra dela em meio a nossa literatura. E a autora, em seu relato, ainda nos transmite o quão escrever lhe é prazeroso, de uma forma encantadora e cativante. Confira no trecho abaixo:

“No sexto e sétimo ano tive aula com um professor de língua portuguesa que adoro. Ele também gosta muito de escrever, e foi nesses dois anos em que nossas aulas eram mais focadas em redações e histórias. Foi aí que tive vontade de escrever. E quando comecei, não tive mais como parar. Eu comecei a gostar tanto de escrever que se tornou um vício. Acho relaxante, divertido, emocionante. E como gosto muito de ler, me sentir nos mundos que outros autores criaram é incrível, mas ter meu próprio mundo, onde eu decido tudo é ainda melhor.”

Em simpatia contagiante, a autora comentou conosco o quão trabalhoso é todo o processo para a publicação de uma obra. Eu, pelo menos, mera leitura e leiga quanto aos “bastidores”, chego a até tentar imaginar a correria da busca por efetivação do sonho. Mas, tem como não sentir aquele sensação de “vale a pena” com os comentários finais da autora?!

“Escrevi meu livro e mandei para algumas editoras. Obtive a resposta da Chiado, que me interessou mais. O processo de edição é complicado. Assinar contrato, criar a capa, paginação, revisão, revisão de novo e de novo. E depois, meses para os livros chegar. Mas vale a pena, porque, quando eles chegam, você não consegue conter sua alegria. Ver aquela capa linda, sentir o cheiro das páginas, ver tudo aquilo que você criou, finalmente impresso e em mãos. É uma sensação incrível.”

E, para encerrar o bate papo que tivemos com a autora, trouxemos a tona a problemática o qual, ao ponto de vista de alguém tão imerso aos bastidores,quanto a literatura e a imersão dos iniciantes no mercado. Claro, apontado evidentemente os problemas sempre expostos: a força do estrangeiro perante nossa literatura, e a dificuldade de se ganhar espaço. De forma cativante, ela expõe seu desejo de um dia estar inserida no mercado internacional:

A literatura brasileira é um assunto complicado, pois todos temos certa preferência pela estrangeira, muito mais reconhecida.Tanto as editoras, quanto as livrarias abrem muito mais espaço para autores já conhecidos, estrangeiros e vloggeiros em geral, e acho que exatamente essa questão devia ser mudada. Queremos ser reconhecidos lá fora (inclusive eu, algum dia, gostaria de ver algum estrangeiro que goste do meu livro), mas não abrimos espaço para autores novos e desconhecidos.

Para conhecimento, a autora escreveu o livro Morgan Dull Blade – O olho e a sombra.

Sinopse:

O mundo está repleto de malfeitores, ladrões e assassinos. E é por isso que a Inglaterra tem uma justiceira. Responsável por colocar vários criminosos na cadeia, procurada pela morte de muitas pessoas más. Essa é Morgan Dull Blade, baixa, ranzinza e Capitã de um exército, cujo dever é limpar as ruas da Inglaterra, acompanhada, na maior parte do tempo, por Alphonse Oak, Tenente e filho de um famoso empresário assassinado anos atrás.

No momento, Morgan está em guerra com a Kage no Ichizoku, um clã japonês, liderado por alguém bem conhecido de Morgan. Ao longo do tempo, Morgan descobre que outros países também têm seus justiceiros, e é ao lado deles que irá travar uma batalha quase definitiva, que mudará muito sua vida. Reencontrará muitas pessoas de seu passado, sem saber se pode ou não confiar nelas, enquanto seus amigos tentam descobrir o que tem por debaixo daquele tapa-olho.

Clique aqui para adquirir a obra!

Beijos, Vanessa.

Anúncios
Projeto Além das páginas: Autora Beatriz Pacca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s