Ler de verdade.

Fala Galera, tudo bem?

Recentemente, no instagram do blog (Clique aqui para acessar) recebi um comentário que me fez refletir muito em consideração sobre estar ou não lendo de verdade. E ainda mais: será que os leitores tem estado cientes sobre isso?!

Parece confuso, mas tentarei explicar da melhor forma possível. Alguns leitores parecem estar mais preocupados com o quanto leem do que acerca do estão lendo. Como se a quantia de livros lidos no mês fossem mais importante do que a forma que se lê.

Não quero julgar, mas sou antiquada o suficiente de ser fã dos velhos e tradicionais leitores que demoram semanas para ler um livro, mas apreciam cada mínima sílaba contida ali. Que leem com os olhos da alma, não superficialmente apenas para ser mais um livro na lista dos lidos. Que leem por prazer, não por mera amostra social. Virou clichê, virou modinha. Gente, não há nada mais eufórico que ver os olhinhos brilhantes daquele camaradinha que leu com a alma. Que sentiu o mesmo que os personagens. Que sequer consegue superar o livro. E dói ver a superficialidade de muitos, que viram as páginas e leem como se fossem meras palavras.

Sabe o ponto que mais me doeu ver? A leitura por obrigação levada de forma penosa. Eu sou estudante de faculdade, assim como fui de colegial e sei bem o quão nos impõe leituras. E sei o quão ruim é ler algo que não se quer. Eu já fui assim. Lia por simplesmente ter que resenhar para o colégio. Hoje, resenho por mera vontade. Por precisa expor aquilo que tanto me comoveu. E, aos poucos, fui aprendendo a buscar a alma do escritos e a beleza da história até mesmo naqueles livros desprezados por todo mundo. Não há feiura nas palavras e sequer suporto tamanha odiosidade que vejo em muitos quando lhes é imposto alguma leitura.

Atualmente, trabalho de forma particular com educação. E meu coração pesa em ver o quão obrigados são as crianças a leitura. Impostas sem ao menos ter-lhes dado uma dose de vontade de ler. Sabe os típicos professores que mandam ler por ler? Crianças precisam de porque’s.

Eu fui uma leitora de números. Lia por quantia. E sabe que de nada adianta? Está enganando a si mesmo. Eu tenho um caderno onde anoto todos os livros que li, de verdade. Não há nem um terço de todos que já li. Mas as falsas leituras não podem ser contadas. Hoje, por mais que demore, leio por amor. Quando não quero, deixo na prateleira até achar uma vontade para o ler. E quando pego, leio buscando a essência, a alma do autor, e todos os porques por trás da história. Todo o empenho para sua publicação, a imaginação que a criou e adentro ao mundo dos personagens.

Sejamos mais leitores por qualidade, não por quantidade.

Beijos, Vanessa!

Anúncios
Ler de verdade.

12 comentários sobre “Ler de verdade.

  1. Oi Vanessa eu também sou assim…eu gosto de ler, quando tenho muita vontade de ler ou conhecer sobre tal autor, mas, por prazer, não quero ler Dom Casmurro e Macunaíma só pra passar no vestibular, mas, sim pq achei a história bacana e que o seu conteúdo me mostrou mensagens importantes…
    Parabéns pela lucidez e verdade!!!
    Beijo pra vc…

    Curtir

  2. Acho que um pouco dessa superficialidade em ler vem justamente da forma com que os livros nos são apresentados lá na infância/adolescência…a obrigação da leitura que não são interessantes naquela faixa etária…a obrigação de ler….de entregar um trabalhinho…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Exatamente…Erroneamente se acredita estar incentivando a leitura ao torná-la obrigatória. Mas vejo como um aspecto totalmente contrário. A tendência de muitos é fugir e de outros tantos, como dito, a tornar-se leitores superficiais.

      Curtido por 1 pessoa

  3. concordo plenamente com você. Infelizmente existe muitas e muitas pessoas lendo assim e ouso a dizer mais: algumas opiniões e indicação são feita pelo valor,as vezes a pessoa nem gostou de verdade da leitura.complicado.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Exatamente. Acredito que nós, que escrevemos em blogs, não podemos esconder nossas opiniões por ser mais conveniente. Por mais que utilizemos eufemismos, afinal não somos donos da razão, devemos transparecer o que achamos. Abraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s