Questão de segundos!

E a morte, sorrateira e silenciosa, em sua plena cautela, atravessou a avenida e tirou-lhe então a vida. Os pulmões, após um ultimo suspiro, não mais respiraram. Os pensamentos silenciaram, a boca calou-se. Os ouvidos desistiram de tentar ouvir o barulho silencioso do nada e o coração simplesmente desistiu de pulsar.

Na escrivaninha ainda havia o bilhete para lembrar do que teria de fazer no dia seguinte. No celular,mensagens a serem respondidas. Ligações pendentes, coisas para fazer e falar, recados memorizados. Havia ainda os planos para conquistar aquela garota, como seria as férias do meio do ano e a renovação no emprego. Tinha planos para os próximos anos, dinheiro no banco, amigos para rever na próxima semana. Simplesmente, em meros segundos, fora descartado para um além do qual não sabemos onde fica.

A cautelosa morte lhe cruzou o caminho e fez então dissipar todos os quaisquer planos para minutos seguintes. Acabou-se então a vida. E lançou-se então em um desconhecido para nossos olhos e razão. E quem disse então que fora ele o primeiro? Quantos não lhe chegaram a hora sem sequer ter-se esperado?

E, pergunto eu agora, se chegar a minha hora agora? Ou a sua? Nada somos. Em nada podemos mandar! Apenas reflita e sua mente lhe indicará o que há subtendido em meio as minhas singelas palavras. Não há para sempre e sequer futuro!

Anúncios
Questão de segundos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s