Orgulho e preconceito.

Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.

Opinião Pessoal:

Uma obra cercada de elogios e recomendações, acabei então lançando-me a leitura desse clássico da literatura, e tornando-me mais uma das grandes admiradoras. Sim, a obra de Jane Austen não deixa em absolutamente nada a desejar e faz justa todas as críticas extremamente positivas que lhe são atribuídas.

Somos colocados em um cenário do século XVIII, e com personagens totalmente marcantes. A protagonista, Elizabeth Bennet, é uma jovem com ideologia totalmente diferente das então demais, baseadas nos desejos fúteis e supérfluos. Apesar de sua situação econômica não ser das melhores, esta acaba conquistando o coração do nobre Fitzwilliam Darcy, um personagem do qual, particularmente, atribuo uma atenção especial às características que este apresenta, pois sinceramente, é o par ideal para a incrível protagonista Lizzy.

Claro que há histórias além da principal, no caso, dos protagonistas Darcy e Lizzy. O enredo é recheado pelas situações envolvendo tanto a família e amigos de ambos, quanto da sociedade da época em seu geral. E acaba sendo uma forma na qual somos colocados no cenário social passado, a dedicação de boa parcela feminina exclusivamente ao casamento, a valorização da moral, dos costumes e dos títulos de nobreza.

Em questões particulares de personagens, de longe que o casal principal Darcy e Lizzy são incríveis. Acredito que quem conhece a obra, deve compartilhar do mesmo pensamento e sentimentos que eu. Elizabeth é totalmente inteligente e despreza aos preceitos mantidos antigamente. Totalmente liberta das futilidades mantidas e do pensamento pequeno voltado aos títulos de nobreza ou quaisquer do tipo. Darcy, para mim, é uma das surpresas em questão de personalidade no decorrer do livro. Como tem-se mais a visão de Elizabeth, até nós leitores cometemos um pequeno erro quanto ao caráter deste. Eu, particularmente, não formulo opinião sobre personagem algum antes de terminar uma obra, porque os autores sempre costumam nos sacanear, não é? Rs

Em questão dos demais personagens, acredito que outros dois extremamente cativantes é Jane, irmã de Lizzy e Bingle, casal que não deixa dúvidas que o final esperado lhes é dos mais felizes não? Sem contar claro, o antagonista, Wickham e outros personagens do tipo “insuportáveis” como o Collins e Lady Catherine.

Não, claro, deixando de falar à respeito do filme, que logo que terminei o livro, corri para assistir. Apesar que, como sempre, alguns trechos são cortados e a história certamente ocorre mais rápido, tentando desviar a concepção do fato de que já havia lido o livro quando assisti, também não perde em nada. E, acabei ficando ainda mais apaixonada pelos protagonistas com uma interpretação maravilhosa dos atores que os fizeram. Elizabeth está ainda mais incrível do que eu imaginara a personagem ao ter lido!

Enfim, tenho que dizer que a obra é sensacional e adentrar ao grupo das críticas positivas, já que não há um ponto sequer a reclamar. É bem escrita e uma leitura extremamente gostosa e fácil de se apreciar. Indico e super recomendo!

Beijos, Vanessa!

Meta anual: 2: 50

Anúncios
Orgulho e preconceito.

10 comentários sobre “Orgulho e preconceito.

  1. Li e livro e vi todas, praticamente todas as versões dos filmes.com certeza a versão que mais gosto é a última, porém existe outra feita pela BBC que é anterior, e na verdade não é um filme, é uma minissérie de 3 capítulos com Colin Firth no papel de Darcy. Está mais completa e vale a pena ver. Também sugiro a leitura de Persuasão e ver o filme depois. Para mim são as dois melhores obras de Jane Austen. Grande abraço.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s